Vida UrbanaPOR PONTO URBANOPUBLICADO EM 08/02/2018

Produtividade em cheque

Sua agenda está cheia de itens com as demandas da sua semana, e cada dia você reescreve algumas tarefas do dia anterior que não conseguiu concluir - e a lista vai só aumentando! Se você já teve essa sensação de que o dia passa e você não consegue fazer nada, saiba que não é o único: milhares de empreendedores, professores, estudantes redigindo teses, criativos e toda sorte de profissionais sofrem com a falta de produtividade em alguma fase da vida.

E se você tem seu próprio negócio e usa horas de coworking para produzir, deve sentir no bolso as consequências do tempo perdido. Na era do diagnóstico por hiperatividade e receitas de ritalina virando rotina nos consultórios de pediatria, será que estamos olhando para nossos próprios hábitos criados pela velocidade de informação e tecnologia e percebendo o quanto eles afetam nossa produtividade?

Para Luiz Francisco Jr., psicólogo, coach e professor da FADISP, quando pensamos em desenvolvimento profissional, especialmente atrelado à disciplina e ao autocontrole, é preciso estar preparado e engajado frente aos processo de mudança, começando pela alteração do paradigma, pois ser controlado e disciplinado, por incrível que pareça, está bem distante de ser estático, rígido e metódico.

Talvez essa seja uma das grandes razões pelas quais as pessoas falham em seu planejamento para alcançar essa condições de disciplina e controle. Essas características estarão cada vez mais presentes quanto mais soubermos lidar com os imprevistos, adversidades e frustrações. É ilusória a ideia de disciplina como algo relacionado à obrigação, assim a do autocontrole com a indiferença. Investir dia a dia no autoconhecimento como quem prepara uma estrutura interna para encarar a mudança o diferente, o não programado pode ser o passo fundamental para se disciplinar e se controlar frente aos desafios da vida”, explica ele.

Entre as principais causas atuais para a improdutividade, podemos citar a internet (essa mocinha e vilã nossa de cada dia, com tanta informação relevante e tanta rede social para stalkear pessoas e ver vídeos de cachorro…), as reuniões intermináveis e sem foco, o hábito de checar a caixa de e-mails ou as mensagens no whatsapp toda hora e respondê-las imediatamente, dormir demais, ter maus hábitos alimentares e até mesmo ser perfeccionista demais com o trabalho. “A avaliação de um trabalho começa antes de sua realização. É preciso ter clareza sobre o que é necessário fazer - seja para mim ou para terceiro, para poder concluir um trabalho com tranquilidade e segurança de que aquilo que será executado corresponde ao planejamento inicial”, sugere Francisco Jr.

Para o psicólogo, as pessoas geralmente sabem o que está prejudicando o trabalho, por isso, reafirma a necessidade do autoconhecimento como ferramenta para a mudança, buscando maior prazer em suas atividades. “Atualmente, o termo produtividade está muito ligado à quantidade e aos resultados produzidos, e enquanto estivermos preocupados com isso, estaremos realizando atividades por obrigação e não por prazer, de forma automática em vez de espontânea e de forma comandada em vez de autônoma, o que contradiz princípios básicos da constituição da personalidade dos seres humanos. Esse talvez seja o pior vilão da produtividade: não enxergar valor naquilo que se faz”, finaliza.

 

Dramas da vida real

“Atualmente, tenho um hábito que prejudica bastante a minha produtividade: costumo querer fazer várias coisas ao mesmo tempo e acabo que não priorizo a atividade correta. Depois, tenho que correr atrás do prejuízo. Perco bastante tempo planejando, ou procurando referências. Muitas vezes estou vendo vídeos aleatórios no Facebook sem perceber. Como solução, tenho utilizado o Trello para fazer um check-list com o status e a data de entrega dos trabalhos, mas esse problema está longe de ser resolvido”.
Alex Sousa, Social Media freelancer.

 

“Meu hábito prejudicial é o YouTube. Pesquiso um assunto sobre illustrator, por exemplo, quando vejo, estou assistindo Vine engraçado de crianças. E nisso, já passou metade do meu tempo para realizar aquela tarefa”.
Camila Silva, estudante de publicidade.

 

“Sou freelancer e passar muito tempo em casa me faz procrastinar bastante, as vezes, procuro trabalhar em lugares diferentes, como alocado no cliente, cafeterias ou shoppings para mudar um pouco a rotina”.
Maicon da Silva, designer freelancer.

 

“O que atrapalha a minha produtividade é trabalhar em casa, Falta foco, concentração e horários. Passo horas do dia fazendo coisas não relacionadas ao trabalho, e quero trabalhar madrugada a dentro”.
Monique Amanda Santos, gestora de redes da Donna Capilli Cosméticos.

 

“Tenho dificuldades em começar, em focar no trabalho. Fico ansioso, começo, paro dou uma volta, brinco com o meu cachorro, faço café, saio, encontro cliente, converso com amigos... Tenho recorrido a técnicas de meditação, yoga e atividade física para melhorar a ansiedade e ter mais foco. Hoje está rendendo mais. A melhor dica é: organização. Tenho usado ferramentas para organizar minhas atividades e está fluindo”.
Nicolas Gomides, sócio-proprietário da Elefante Verde Ponte Nova.