Vida UrbanaPOR PONTO URBANOPUBLICADO EM 30/06/2017

COMPARTILHANDO ESPAÇOS PRIVATIVOS NA CIDADE: PARKLETS

Já ouviu falar dos parklets? Que tal conhecermos áreas de lazer feitas pela iniciativa privada de forma compartilhada com toda a cidade?

Parklets são aquelas pequenas pracinhas montadas em um tipo de tablado na rua, com mesas, cadeiras, às vezes com local para fixar a bike e também jardineiras bastante charmosas. Essas pequenas praças, montadas pela iniciativa privada, ocupam o lugar de duas vagas de carro e são responsáveis por criar espaços verdes que podem ser utilizados pelos moradores do entorno, pedestres que precisam de um lugar pra descansar, e trabalhadores da região. Servem como ponto de encontro, e até pra quem gosta de observar o movimento nas ruas da cidade.

Como isso começou?

Em 2014, a prefeitura de São Paulo regulamentou a implantação de parklets na cidade. Hoje, já são mais de 60 parklets implantados responsáveis por melhorar a qualidade do espaço público e por introduzir o conceito de compartilhamento, trazem um pouco de verde e respiro para as ruas da cidade. Mas de onde veio essa ideia de transformar vagas de estacionamento em áreas públicas de convívio.

Os parklets, assim como outras iniciativas de economia compartilhada como os Coworkings, Airbnb e Uber, tiveram sua origem na cidade californiana de São Francisco em 2010, como uma solução para ampliar as calçadas, criando novas áreas públicas dentro de uma cidade. O sistema criado na cidade americana, prevê 5 princípios básicos:

  • Equilíbrio entre as formas de deslocamento: caminhar, andar de bicicleta e viagens de carro
  • Estimular o transporte não motorizado
  • Promover espaços de convívio e trânsito de pedestres
  • Incentivar o convívio com a vizinhança
  • Apoio ao comércio e serviços de rua, uma vez que a tornam mais segura e confortável para seus usuários.

Em São Paulo, a implantação desses espaços acontece de forma muito similar ao que é feito em São Francisco: a prefeitura estabelece diversas normas e parâmetros que devem ser seguidos para que os parklets sejam implantados em locais onde se faça sentido sua implantação. Não é recomendado colocar um parklet numa avenida movimentada devido ao alto fluxo de veículos e o barulho, pois não é muito convidativo para as pessoas ficarem.

O ideal é que sejam implantados em ruas de baixa velocidade, respeitando a distância das esquinas, e potencializando locais onde a permanência aconteça de forma agradável. É importante que os moradores do entorno e os representantes das empresas e comércio local façam parte dessa tomada de decisão.

Em outras cidades os Parklets são conhecidos como “Street Seat” em Nova Iorque e “People Spots” em Chicago.

Vale a pena implantar um parklet?

O investimento para instalar um parklet é em torno de 25 mil reais para aqueles de menor tamanho. Todos os custos financeiros referentes à instalação, manutenção e remoção do parklet são de responsabilidade exclusiva do mantenedor. É importante lembrar que esses espaços são áreas públicas de convívio e não podem ser utilizados como extensão do comércio adjacente.

Porém, os comerciantes estão adorando a iniciativa, simplesmente porque os espaços atraem a clientela para a região.

Por criarem espaços públicos compartilhados, essas pequenas praças estimulam o convívio de pessoas, que por sua vez atraem mais pessoas, além de melhorar a circulação de pedestres na rua onde está instalado. O bairro ganha uma nova praça, os moradores tem uma novo local para se encontrar. O comércio se movimenta e atrai mais movimento. Acaba sendo um benefício para todos.

Um manual de instruções para a instalação dos espaços foi preparado pelo Instituto Mobilidade Verde e a prefeitura disponibiliza um material oficial em www.gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br  .A regulamentação também estabelece parâmetros de tamanho e a padronização do mobiliário que geralmente é feito em madeira certificada.

Nosso bairro já tem vários parklets, aproveite!

A Ponto Urbano procura implantar unidades em bairros que mesclam não apenas estrutura comercial e de transporte, mas sobretudo qualidade de vida. Então é natural que estejamos sempre próximos a iniciativas legais como essa.

O Bairro da Vila Mariana tem crescido em áreas de espaço compartilhado e atualmente temos parklets já implantados nas seguintes ruas:

  • Rua João Lourenço, 367
  • Rua Coronel Oscar Porto, a 15 metros da rua Abílio Soares
  • Rua Dr. Bacelar, 1.043

O Bairro de Higienópolis, além de ser já naturalmente muito arborizado, conta com vários espaços compartilhados deste tipo, tendo inclusive recebido um dos primeiros parklets ainda em caráter experimental na rua Maria Antônia, em 2013.