Cresça seu negócioPOR PONTO URBANOPUBLICADO EM 15/03/2018

Como recuperar a produtividade depois de uma crise?

Por mais que estejamos tentando burlar algumas leis da natureza ao dormir 2h por noite e tentar estar em vários lugares ao mesmo tempo usando os meios de comunicação online, não adianta: há sempre a hora em que o corpo fica cansado, bate uma ansiedade, o estresse tira seu sono quando finalmente chega uma noite em que você deita num horário normal para dormir ou quando você está tão sobrecarregado que comete um erro e recebe uma enxurrada de críticas que talvez aquele deslize sequer merecesse.

Acontece com todo mundo. Vida profissional e pessoal se misturam e, de vez em quando, as crises acabam atrapalhando a sua produtividade - e nunca é uma hora boa para isso acontecer, certo?

 

Como ressignificar as crises e críticas do trabalho?

Segundo Leonardo Garutti, professor de MBA e coach especializado em gestão e liderança, as crises são sempre uma excelente oportunidade de evolução na vida e no trabalho, mas primeiramente, é preciso separar bem o que é uma crise no trabalho de uma crise pessoal que acaba afetando o lado profissional, ou vice-versa. “Separando o joio do trigo é possível que o profissional exercite a inteligência emocional e veja o lado bom dessa crise e, a partir daí, é provável que surjam alguns insights que, se colocados em prática, podem contribuir não apenas para a ressignificação como para uma ação transformadora”, diz ele.

 

Já as críticas, para ele, são sempre bem-vindas: um sinal de que estão se importando com os resultados. “Muito pior seria a indiferença. Claro que, na hora da crítica, a maioria das pessoas tende a se fechar e refutá-las, e nem sempre quem as faz, sabe fazer com elegância. Cabe a nós termos maturidade para refletir sempre que as recebemos, pensar qual foi a intenção positiva de quem me fez a crítica e, mesmo que não concorde com ela, se há algo de útil que possa contribuir para o desempenho. Com calma e treino, é possível desenvolver a inteligência emocional e tirar proveito das situações que a vida nos oferece. Gosto de pensar que é muito bom ouvir críticas e ter disposição para aprender com elas, afinal pior são as que são pensadas e não ditas”, comenta ele.

 

E a produtividade, como fica?

É muito comum que, após longo período na mesma atividade ou na mesma empresa, os profissionais fiquem muito associados aos problemas cotidianos. Com isso, acabam sofrendo mais do que o necessário e, muitas vezes, ultrapassam a linha da vitimização.  Vamos combinar que, por mais que vez ou outra façamos, ninguém curte conviver muito com o ‘mimimi’ alheio. Nessas horas, uma ajuda profissional é sempre muito bem vinda e algumas poucas sessões de coaching ou mentoria podem ajudar a refletir a situação e fazer o profissional perceber se está ultrapassando essa linha tênue e como pode utilizar seus recursos e sentimentos ao seu favor, em vez de ficar sofrendo e se prejudicando, seja por uma causa real ou não. Afinal, não são os fatos que nos fazem sofrer, e sim a percepção e significado que a eles atribuímos. O desafio que faço aos meus clientes nessas situações é que exercitem recontar a mesma história pelo menos três vezes de forma diferente e melhor, e por fim escolher a melhor versão que são capazes de contar da mesma história, sempre com honra e respeito. Dessa forma, a visão clareia e a produtividade volta  fluir”, finaliza Garutti.