CoworkingPOR PONTO URBANOPUBLICADO EM 04/09/2017

Como está seu networking?

Confira 3 dicas para construir bons relacionamentos

Vivemos uma era em que a conexão entre pessoas é visível em cada minuto. Na palma das mãos, os smartphones entregam as mensagens instantaneamente e encontra destinatários sempre prontos para devolver o mais rápido possível a sua resposta.

Redes sociais exibem fotos, textos e vídeos de colegas, amigos, familiares, prendendo a atenção e causando os mais diversos sentimentos em quem acompanha a história da vida alheia pela timeline. E nesse mundo em que chegar até uma pessoa fica mais e mais fácil por causa das conexões virtuais, aquela QI - o “quem indica” - ganhou um peso ainda maior quando o assunto é o mundo dos negócios.

É natural que contratações para funcionários, prestadores de serviço e acordos entre empresários leve em conta a impressão subjetiva que se faz ao conhecer outra pessoa. Por isso, num mundo tão competitivo em que se pode acessar o perfil público de um candidato ou empreendedor no Linkedin, é tão importante investir tempo na construção de uma rede de relacionamentos saudável, interessante e próspera.

 

Networking em espaços de trabalho compartilhado

Não é à toa que os especialistas em gestão e negócios apontam a possibilidade de fazer um bom networking como uma das vantagens de optar por um coworking em vez de escritório próprio ou home office. Além de liberarem sua cabeça das tarefas rotineiras operacionais, como falamos neste post, os espaços compartilhados de trabalho dão a chance de você se conectar com outros empreendedores que podem ser seus parceiros ou até mesmo indicar os seus serviços e produtos para outros clientes, e vice-versa, criando um ambiente muito saudável para o crescimento de toda a comunidade.

Separamos um tempo para pensar nos estudos e experiências acumuladas em coaching e comportamento humano, então preparamos, neste post, três dicas para ajudar você a destacar-se na multidão e ser a pessoa lembrada quando surgir aquela maravilhosa pergunta: “você tem alguém pra me indicar?”. Confira!

 

Seja interessado, genuinamente

Um pensamento de sabedoria popular diz algo muito interessante sobre o interesse no próximo: “a atenção é a forma de amor mais rara que existe” (autor desconhecido). Você talvez se lembre de uma ocasião em que estava contando algo importante sobre sua vida e sentiu-se muito amparado pelo seu interlocutor que lhe ouvia com atenção e silêncio. E também deve lembrar quão ruim é começar a contar algo e ser interrompido por alguém que diz “nossa, mas escuta essa tragédia que aconteceu comigo”, e emenda uma história longa que impede você de continuar a sua. Ou pior que isso, pense na última vez que almoçou com alguém que não desgrudava do celular e sequer ouvia o que você estava dizendo. Chato, né?

Pois é, a atitude de dedicar seu tempo para ouvir o outro ganhou um nome técnico no coaching: escuta ativa. E, neste mundo em que estamos em todos os lugares menos no presente, vale a pena exercitar esta prática, que requer ter foco no outro, não julgar e responder à linguagem não verbal, numa postura de acolhimento e real interesse.

Faça um teste na próxima conversa que tiver e segure o ímpeto de falar de você quando isso passar pela sua cabeça. Em vez disso, pergunte, dê espaço para a outra pessoa se expressar. Este talvez seja o primeiro passo para ser alguém que todos desejam ter por perto, nos negócios e na vida pessoal.

 

Exalte qualidades e evite reclamar

Todo mundo já percebeu que existe uma corrente “good vibes” pelas redes sociais afora e, como muitas situações no universo perfeito do Instagram, tem muita gente que mais fala do que faz. Seja você usuário da hashtag #gratidão ou não, o que importa de verdade é a sua postura.

Vamos combinar: é bem desagradável chegar a um local de descompressão, como o café da sua empresa, o boteco do happy hour ou uma festa, e acabar preso numa conversa com alguém que só sabe reclamar.

No trabalho, pior ainda é fazer projetos com quem coloca defeito em tudo, mas não justifica a crítica nem oferece uma solução para o problema - porque críticas construtivas servem para nos fazer crescer, mas falar mal só por falar leva a lugar nenhum,

Na contramão disso, já percebeu como é difícil encontrar quem fale bem do que você fez bem-feito, elogie sua postura, exalte suas qualidades? Se existe alguém assim na sua vida, provavelmente essa pessoa está em um lugar alto do seu ranking mental de importância.

Ser uma pessoa que, genuinamente, alegra-se com as vitórias alheias, percebe e comenta boas atitudes, certamente fará a diferença para melhorar seus relacionamentos e poderá gerar bons frutos para seus negócios.

 

Conte boas histórias

Enquanto você presta atenção na sua atitude frente à fala das pessoas e policiar-se para não reclamar demais, comece também a treinar a sua capacidade de contar histórias e de entregar para o seu interlocutor aquilo que ele deseja ouvir.

Como as duas atitudes anteriores, esta também exige uma formação constante, pois ter um bom discurso exige repertório, articulação e posicionamento, mas tomando cuidado para não cair em clichês ou transformar a roda de conversa em uma palestra.

No mundo dos negócios, essa habilidade pode ser de grande valia para novos contratos e parcerias, pois você estará preparado para, no momento exato de um bate papo ou reunião, dizer algo que realmente desperte o interesse das pessoas, por ser exatamente o que elas desejam ouvir.

Esperamos que essas dicas ajudem você a melhorar seus relacionamentos! E fique à vontade para compartilhar com a comunidade dos coworking Ponto Urbano as suas dicas também, aqui nos comentários.

Até a próxima!